Cooperativas paraenses conhecem conglomerado industrial de cooperativas do Sul brasileiro - PARÁ 2030
25079
post-template-default,single,single-post,postid-25079,single-format-standard,tribe-no-js,ajax_fade,page_not_loaded,,select-theme-ver-3.2.1,menu-animation-underline,wpb-js-composer js-comp-ver-4.12,vc_responsive

Cooperativas paraenses conhecem conglomerado industrial de cooperativas do Sul brasileiro

O forte setor cooperativista do Sul do País, sobretudo a região Oeste de Santa Catarina, que tem excelente nível de organização e investimentos pesados em pesquisa e inovação, recebe esta semana um grupo paraense liderado pelo secretário estadual de Desenvolvimento Econômico do Pará,  Adnan Demachki; o presidente do Sindicato e Organização das Cooperativas Brasileiras do Estado do Pará (OCB- Pará),  Ernandes Raiol; diretores de nove cooperativas dos municípios de Santarém, Irituia, Tomé-Açu, Paragominas, Vigia, Tailândia e Medicilândia.
O foco são novos conhecimentos e intercâmbios técnicos em visitas à Central Aurora Alimentos, terceiro maior conglomerado industrial do setor de carnes no Brasil, bem como às cooperativas das cidades catarinenses de Chapecó, Cunha Porã, Pinhalzinho e Palmitos. Juntas, elas congregam 72 mil famílias associadas com faturamento em 2016, em torno de 28 bilhões de reais, o carro-chefe da região de elevado PIB Per Capita e alto Índice de Desenvolvimento Humano (IDH).
Para o secretário Adnan Demachki, a força produtiva das cooperativas sulistas têm base na agregação de valor aos produtos da agropecuária, uma experiência bem-sucedida que deve ser referência para os paraenses. A Cooperativa Aurora abate de 18 mil suínos/dia, um milhão de aves/dia e processa 1,5 milhão de litros de leite/dia.
A visita objetiva uma via de  mão dupla, reiterou o secretário, ”estamos conhecendo sim, mas apresentando também as potencialidades econômicas do Estado e as oportunidades de negócios das cadeias produtivas eleitas pelo Programa Pará 2030”.
O presidente do sistema OCB Pará, Ernandes Raiol, comentou que o apoio do Executivo estadual, é uma demonstração clara de que o Estado do Pará prioriza o modelo cooperativista.
No dia 27 deste mês, na sede da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Mineração e Energia (Sedeme), no bairro do Umarizal, em Belém, um evento voltado às cooperativas paraenses apresentará o Crédito do Produtor, a política fiscal do Estado, bem como as regras do PIS – Programa de Integração Social – que pode viabilizar energia elétrica em áreas de produção.
”O estágio bem mais avançado, e a agregação de valor aos produtos agropecuários das cooperativas visitadas, é uma demonstração inequívoca do que o cooperativismo é capaz de induzir desenvolvimento econômico em qualquer região”, salientou o secretário.
Diretor da Cooperativa Agrícola Mista de Tomé-Açu (Camta), Ivan Saiki, cooperativa mais antiga do Pará com 85 anos de existência, considera positiva o conhecimento das atividades produtivas do Oeste catarinense. Ele lembrou que tratam-se de áreas pequenas, mas com alta produtividade e, o melhor, industrial. Texto: Ascom/Sedeme. Fotos: Divulgação.
1Coméntario
  • Wellington Barros

    24 de outubro de 2017 em 14:14 Responder

    Diante de um cenário político nacional catastrófico e corrupto, o PARÁ, se destaca com louvor, com uma equipe de governo “estadual” comprometido com o desenvolvimento e o futuro de nosso estado. Parabéns !

Publicar um comentário