Estado do Pará conquista uma das maiores indústrias de frutas do País - PARÁ 2030
25261
post-template-default,single,single-post,postid-25261,single-format-standard,tribe-no-js,ajax_fade,page_not_loaded,,select-theme-ver-3.2.1,menu-animation-underline,wpb-js-composer js-comp-ver-4.12,vc_responsive

Estado do Pará conquista uma das maiores indústrias de frutas do País

O secretário estadual de Desenvolvimento Econômico do Pará, Adnan Demachki, assinou Protocolo de Intenções, na manhã desta segunda feira, 5, em Jundiaí – São Paulo, para implantação de indústria da empresa De Marchi no Estado do Pará. O documento foi celebrado entre Adnan e o diretor do Grupo industrial, Milton José De Marchi, cujo conglomerado reúne indústrias de sucos, fazendas, distribuidora de produtos congelados, verduras e legumes em vários Estados da Federação.
O grupo que adquiriu a empresa de Polpas Top Açaí em Santa Bárbara, Região Metropolitana de Belém (RMB), levava polpas para Jundiaí-SP, onde ainda industrializa, produzindo novos produtos com valor agregado. Agora, a De Marchi iniciará a expansão da Top Açaí implantando a indústria efetiva, com linhas de processamento de frutas regionais, com destaque para o fruto do açaí.
‘’Esta será a terceira indústria de frutas da empresa’’, disse Milton De Marchi, logo após a celebração do Protocolo com o Estado. “A nossa matriz é aqui em Jundiaí, temos uma indústria em Pelotas (Rio Grande do Sul) e agora a terceira indústria no Estado do Pará’’, acrescentou o executivo.
Pelo Protocolo, a empresa se compromete com além da implantação da indústria, promover o plantio de frutas regionais, como também estimular fornecedores da empresa a se implantarem no Pará. O documento ainda prevê, após a consolidação da cadeia de frutas regionais, que a partir de 2021, a empresa direcionará o foco para produção e distribuição de legumes e frutas em território paraense.
O secretário Adnan Demachki frisa que esta é mais uma empresa que amplia seu escopo industrial no Pará, após a criação da Política Industrial do Açaí, uma das ações do Programa Pará 2030, editado através do Decreto, de nº 1570, de 29 de junho de 2016, assinado pelo governador Simão Jatene.
‘’Antes, ela somente levava a polpa de açaí para industrializar em outro Estado gerando emprego e renda fora do Pará com o nosso açaí. Agora o fará aqui”, destacou o secretário.
Já são 12 as empresas incentivadas pela Sedeme em vários municípios, com a geração de cerca de novos mil empregos diretos, sem citar os empregos indiretos que resultam da movimentação de outros segmentos produtivos, auxiliares à indústria da cadeia do açaí, a exemplo dos setores de embalagem, transportes, uniformes, comércio e serviços.
As indústrias que iniciam suas novas linhas de produção com o açaí estão instaladas ou se instalando em Santa Bárbara, Castanhal, Barcarena, Abaetetuba, Moju, Igarapé-Miri e Mocajuba. Todas expandem suas atividades instituindo novos processos de produção.
‘’Se antes, elas apenas produziam a polpa de açaí para polos industriais fora do Pará. Agora, terão sua própria produção industrial, aqui, gerando produtos beneficiados com valor agregado, novos empregos, mais renda para a população e maior arrecadação para o fisco estadual’’, enfatizou Adnan Demachki,
O empresário Milton De Marchi afirmou que o desejo de consolidar seu empreendimento no Norte do Brasil era antigo. Ele salientou a importância do apoio do Estado através da Política Industrial do Açaí, como também o apoio institucional da Gestão Jatene, na questão fundiária das terras que a empresa quer adquirir para a produção do fruto, bem como na consolidação da rede de energia elétrica, insumo vital às áreas industriais.
Em Jundiaí, nesta segunda-feira, o secretario Adnan Demachki conheceu a matriz da empresa, que gera em seus negócios 3.200 empregos diretos. Com 33 anos de fundação, a DeMarchi tem faturamento de 1 bilhão de reais, fornecendo para o mercado nacional e exportando para dezenas de Países de todos os cinco continentes.
Nenhum Comentário

Publicar um comentário