Governo apresenta parcerias com o setor privado em reunião da Fiepa - PARÁ 2030
25185
post-template-default,single,single-post,postid-25185,single-format-standard,tribe-no-js,ajax_fade,page_not_loaded,,select-theme-ver-3.2.1,menu-animation-underline,wpb-js-composer js-comp-ver-4.12,vc_responsive

Governo apresenta parcerias com o setor privado em reunião da Fiepa

Na última reunião do ano do Conselho Temático de Infraestrutura (Coinfra) da Federação das Indústrias do Estado do Pará (Fiepa), o secretário de Desenvolvimento Econômico, Mineração e Energia (Sedeme), Adnan Demachki, foi o representante do Governo do Estado e apresentou alguns dos projetos de maior importância para o Estado, como o projeto da Ferrovia Paraense, a PMI para implantação de 8.500 kms de rede de fibra ótica e o projeto para tornar o Pará uma referência mundial de gastronomia, todas através de parcerias público /privadas.

O encontro contou com representantes de setores públicos e privados para a discussão de iniciativas de infra-estrutura para o estado. O Coinfra é um dos cinco conselhos temáticos da Fiepa e tem por objetivo o acompanhamento das obras de investimento realizadas pelos governos municipal, estadual e federal, destinadas à infra-estrutura no Pará e ao desenvolvimento da Região Norte.

Das três parcerias do Estado com a Iniciativa Privada, Adnan Demachki se ateve um pouco mais sobre o da Ferrovia Paraense, a de maior porte e que está em estado mais avançado. “Estamos tendo reuniões regulares sobre o assunto, com idas constantes a Brasília. Essa semana o secretário adjunto (Eduardo Leão) esteve com o ministro Moreira Franco insistindo no pleito para o Estado assumir o Processo de Manifestação Pública de Interesse que vai proceder os estudos de dragagem e licitação do Canal do Quiriri”, explicou o secretário. O Canal do Quiriri é o principal meio de acesso ao Porto de Vila do Conde, em Barcarena.

Sobre a ampliação da rede de fibra ótica no estado, Demachki salientou que “dentre as ações do Programa Pará 2030, na cadeia de logística, estão as Infovias, que ajudará a alavancar um crescimento sustentável e permanente. São previstos 8,5 mil quilômetros de cabos de fibra ótica, 100 mil postes de concreto, beneficiando 65 municípios, inclusive a capital. Com o projeto, chegaremos aos 144 municípios”.

Quanto ao Centro Global de gastronomia e Biodiversidade, o secretário explicou que se trata de um projeto da iniciativa privada para a implantação de um complexo no Parque do Utinga, de restaurante a escola superior de gastronomia, além de um museu do alimento. “Belém tem que aproveitar os sabores e aromas para ser uma referência mundial de gastronomia. Os três projetos estão bem maduros, avançados e irão para licitação no primeiros semestre de 2018″, finalizou Demachki.

Nenhum Comentário

Publicar um comentário