Aquicultura e Verticalização do Pescado - PARÁ 2030
23631
page-template,page-template-full_width,page-template-full_width-php,page,page-id-23631,page-child,parent-pageid-21769,tribe-no-js,ajax_fade,page_not_loaded,,select-theme-ver-3.2.1,menu-animation-underline,wpb-js-composer js-comp-ver-4.12,vc_responsive
 

Aquicultura e Verticalização do Pescado

DESCRIÇÃO

O Pará é um dos estados líderes na produção nacional de pescado extrativo. O crescimento da aquicultura ajudará a alavancar a verticalização da atividade de modo sustentável, garantindo equilíbrio ecológico e agregação de valor ao setor produtivo.

DESCRIÇÃO

O Pará é um dos estados líderes na produção nacional de pescado extrativo. O crescimento da aquicultura ajudará a alavancar a verticalização da atividade de modo sustentável, garantindo equilíbrio ecológico e agregação de valor ao setor produtivo.

CONTEXTO

CONTEXTO

O Pará é um dos líderes na produção de pescados. No entanto, não tem grande perspectiva de crescimento devido ao risco de sobrepesca dos estoques naturais.

A aquicultura é a melhor resposta produtiva para o aumento da demanda de pescado, e já responde pela maior parte da produção total de pescado no mundo.

Atualmente, o Pará produz cerca de 10 mil toneladas de pescado de aquicultura, que representam menos de 2% da produção nacional aquícola.

Com o crescimento da atividade, o Pará alavancará sua cadeia de pesca para desenvolver vantagens competitivas importantes na produção de ração e na criação de espécies nativas da Amazônia.

O Pará é um dos líderes na produção de pescados. No entanto, não tem grande perspectiva de crescimento devido ao risco de sobrepesca dos estoques naturais.

A aquicultura é a melhor resposta produtiva para o aumento da demanda de pescado, e já responde pela maior parte da produção total de pescado no mundo.

Atualmente, o Pará produz cerca de 10 mil toneladas de pescado de aquicultura, que representam menos de 2% da produção nacional aquícola.

Com o crescimento da atividade, o Pará alavancará sua cadeia de pesca para desenvolver vantagens competitivas importantes na produção de ração e na criação de espécies nativas da Amazônia.

O QUE PRECISA PRA DAR CERTO?

O QUE PRECISA PRA DAR CERTO?

Aumento de técnicos e profissionais capacitados na área.

Expandir a capacidade produtiva do Estado para possibilitar novos empreendimentos de verticalização do pescado.

Aumento de técnicos e profissionais capacitados na área.

Expandir a capacidade produtiva do Estado para possibilitar novos empreendimentos de verticalização do pescado.

ÁRVORE DE INICIATIVAS

ÁRVORE DE INICIATIVAS

Iniciativas do Pará 2030

Iniciativas do Pará 2030

ATRAÇÃO DE INDÚSTRIAS PARA VERTICALIZAÇÃO

Atrair indústrias para a verticalização e beneficiamento para gerar maior agregação de valor ao Estado.

REGULARIZAÇÃO E LICENCIAMENTO AMBIENTAL

Redesenhar fluxograma de processos de licenciamento ambiental de modo a aumentar a agilidade e transparência.

DESENVOLVIMENTO DE NOVOS MERCADOS

Promover a demanda  da cadeia para aumento do volume de negócios, da geração de emprego e renda.

FORMAÇÃO, CAPACITAÇÃO E EXTENSÃO RURAL

Difundir conjunto de práticas de alto rendimento e produção eficiente para uso contínuo dentre os produtores.

PESQUISA E DESENVOLVIMENTO

Desenvolver mecanismos eficientes de incentivo às pesquisas em áreas estratégicas.

DISPONIBILIDADE DE CRÉDITO

Aumentar o acesso a crédito, provendo fundos para investimentos na atividade produtiva, menos volatilidade de fluxo de caixa e melhor gestão de riscos.

ORGANIZAÇÕES SOCIAIS PRODUTIVAS

Impulsionar formação, fortalecimento e alcance de organizações sociais produtivas, como associações, cooperativas e blocos comerciais.

ATRAÇÃO DE INDÚSTRIAS PARA VERTICALIZAÇÃO

Atrair indústrias para a verticalização e beneficiamento para gerar maior agregação de valor ao Estado.

REGULARIZAÇÃO E LICENCIAMENTO AMBIENTAL

Redesenhar fluxograma de processos de licenciamento ambiental de modo a aumentar a agilidade e transparência.

DESENVOLVIMENTO DE NOVOS MERCADOS

Promover a demanda  da cadeia para aumento do volume de negócios, da geração de emprego e renda.

FORMAÇÃO, CAPACITAÇÃO E EXTENSÃO RURAL

Difundir conjunto de práticas de alto rendimento e produção eficiente para uso contínuo dentre os produtores.

PESQUISA E DESENVOLVIMENTO

Desenvolver mecanismos eficientes de incentivo às pesquisas em áreas estratégicas.

DISPONIBILIDADE DE CRÉDITO

Aumentar o acesso a crédito, provendo fundos para investimentos na atividade produtiva, menos volatilidade de fluxo de caixa e melhor gestão de riscos.

ORGANIZAÇÕES SOCIAIS PRODUTIVAS

Impulsionar formação, fortalecimento e alcance de organizações sociais produtivas, como associações, cooperativas e blocos comerciais.

  • Programa Pará 2030: setor da pecuária anuncia a Aliança Paraense da Carne

    A Sedeme sediou nesta sexta- 16, pela manhã, uma grande reunião com grande parte da equipe de governo com 4 entidades importantes do setor da Pecuária Paraense: A ACRIPARÁ – Associação dos Criadores de Bovinos do Pará, UNIEC- União dos Indústrias Exportadoras de Carne, SINDICARNE......

  • Indústria do Pará registra o maior crescimento do país em 2017

    O Pará registrou o maior crescimento industrial entre todos os estados brasileiros no ano passado. Entre janeiro e dezembro de 2017, o estado apresentou um aumento de 10,1%, o único com dois dígitos no país. Os números foram divulgados nesta sexta-feira (09) pelo Instituto Brasileiro......

  • Pará deverá crescer em torno de 6% em 2018

    Este índice foi anunciado pela renomada Tendência Consultoria (que estimou o crescimento paraense no biênio 2017/2018 em 8.2%) e revelado na manhã desta quarta-feira (7) pelo titular da Secretaria Estadual de Desenvolvimento Econômico, Mineração e Energia (Sedeme), Adnan Demachki, em palestra no “Seminário Projeções e......

  • Estado debate, com Norsk Hydro, oferta de gás, Ferrovia Paraense e refinaria de alumina

    O governo do Estado, através do titular da Secretaria de Desenvolvimento Econômico (Sedeme), Adnan Demachki, se reuniu nesta terça (6) com o vice-presidente da Hydro Brasil, Sílvio Porto, e com o diretor institucional da empresa, Anderson Baranov: na pauta, investimentos estratégicos para o Estado. Foram......