Floresta Plantada - PARÁ 2030
23609
page-template,page-template-full_width,page-template-full_width-php,page,page-id-23609,page-child,parent-pageid-21769,tribe-no-js,ajax_fade,page_not_loaded,,select-theme-ver-3.2.1,menu-animation-underline,wpb-js-composer js-comp-ver-4.12,vc_responsive
 

Floresta Plantada

DESCRIÇÃO

No Pará, há 225 mil hectares de floresta plantada, sendo 150 mil hectares de eucalipto e 85 mil hectares de Paricá. A cadeia de floresta plantada no Brasil tem como principais produtos derivados celulose, papel, painéis de madeira reconstituídos, pisos laminados, paneis compensados, móveis, carvão vegetal e outras biomassas para fins energéticos

DESCRIÇÃO

No Pará, há 225 mil hectares de floresta plantada, sendo 150 mil hectares de eucalipto e 85 mil hectares de Paricá. A cadeia de floresta plantada no Brasil tem como principais produtos derivados celulose, papel, painéis de madeira reconstituídos, pisos laminados, paneis compensados, móveis, carvão vegetal e outras biomassas para fins energéticos

CONTEXTO

CONTEXTO

Atualmente, ~70% da madeira produzida no Estado se destina a fábrica de papel e celulose da Suzano no Maranhão. E o restante é usado para a produção de MDF, compensados e outros fins.

A Floraplac, localizada no Estado, é a única fábrica de MDF nas regiões N/NE/COe produz cerca de 210 mil m³ de madeira processada (180 mil m³ de MDF e 30 mil m³ de lâminas, compensados e piso). Após a expansão prevista para 2017, a capacidade produtiva será de 600 mil m³ de MDF, requerendo 40 mil ha de florestas plantadas

O fomento a cadeia integrada de floresta plantada pode alavancar o PIB e a geração de empregos no Estado.

Atualmente, ~70% da madeira produzida no Estado se destina a fábrica de papel e celulose da Suzano no Maranhão. E o restante é usado para a produção de MDF, compensados e outros fins.

A Floraplac, localizada no Estado, é a única fábrica de MDF nas regiões N/NE/COe produz cerca de 210 mil m³ de madeira processada (180 mil m³ de MDF e 30 mil m³ de lâminas, compensados e piso). Após a expansão prevista para 2017, a capacidade produtiva será de 600 mil m³ de MDF, requerendo 40 mil ha de florestas plantadas.

O fomento a cadeia integrada de floresta plantada pode alavancar o PIB e a geração de empregos no Estado.

O QUE PRECISA PRA DAR CERTO?

O QUE PRECISA PRA DAR CERTO?

Fomentar a verticalização da cadeia de valor da floresta plantada, com foco nas atividades de agregação de valor posteriores ao plantio e produção de madeira.

Política de incentivos fiscais estadual criada para o fomento de atividades sustentáveis que gerem alto valor agregado à cadeia.

Simplificação e desburocratização dos processos de regularização fundiária e licenciamento ambiental.

Produtos de crédito mais abrangentes que levem em consideração as diferentes necessidades da cadeia produtiva.

Fomentar a verticalização da cadeia de valor da floresta plantada, com foco nas atividades de agregação de valor posteriores ao plantio e produção de madeira.

Política de incentivos fiscais estadual criada para o fomento de atividades sustentáveis que gerem alto valor agregado à cadeia.

Simplificação e desburocratização dos processos de regularização fundiária e licenciamento ambiental.

Produtos de crédito mais abrangentes que levem em consideração as diferentes necessidades da cadeia produtiva.

ÁRVORE DE INICIATIVAS

ÁRVORE DE INICIATIVAS

INICIATIVAS DO PARÁ 2030

INICIATIVAS DO PARÁ 2030

REGULARIZAÇÃO FUNDIÁRIA

Mobilizar recursos, reformular fluxograma de processos e estabelecer sistema de governança eficiente de modo a titular terras consistentemente e, por consequência, destravar investimentos e produção.

REGULARIZAÇÃO E LICENCIAMENTO AMBIENTAL

Redesenhar fluxograma de processos de licenciamento ambiental de modo a aumentar celeridade do mesmo.

DESENVOLVIMENTO DE ARRANJO PRODUTIVO LOCAL

Criar e fomentar arranjo produtivo moveleiro no Estado do Pará.

RESTAURAÇÃO FLORESTAL

Desenvolver arcabouço que induza e fomente a restauração florestal por meio da geração de fluxo econômico para o Estado.

INCENTIVOS FISCAIS

Redesenhar política de incentivos fiscais para a cadeia integrada de floresta plantada no Pará de modo a aumentar competitividade em relação a outros Estados.

PESQUISA E DESENVOLVIMENTO

Desenvolver mecanismos eficientes de fomento às pesquisas em áreas estratégicas de Floresta Plantada.

ACESSO A CRÉDITO

Adequar ofertas de crédito às necessidades dos atores produtivos, promovendo crescimento consistente e sustentável da cadeia integrada de Floresta Plantada.

REGULARIZAÇÃO FUNDIÁRIA

Mobilizar recursos, reformular fluxograma de processos e estabelecer sistema de governança eficiente de modo a titular terras consistentemente e, por consequência, destravar investimentos e produção.

REGULARIZAÇÃO E LICENCIAMENTO AMBIENTAL

Redesenhar fluxograma de processos de licenciamento ambiental de modo a aumentar celeridade do mesmo.

DESENVOLVIMENTO DE ARRANJO PRODUTIVO LOCAL

Criar e fomentar arranjo produtivo moveleiro no Estado do Pará.

RESTAURAÇÃO FLORESTAL

Desenvolver arcabouço que induza e fomente a restauração florestal por meio da geração de fluxo econômico para o Estado.

INCENTIVOS FISCAIS

Redesenhar política de incentivos fiscais para a cadeia integrada de floresta plantada no Pará de modo a aumentar competitividade em relação a outros Estados.

PESQUISA E DESENVOLVIMENTO

Desenvolver mecanismos eficientes de fomento às pesquisas em áreas estratégicas de Floresta Plantada.

ACESSO A CRÉDITO

Adequar ofertas de crédito às necessidades dos atores produtivos, promovendo crescimento consistente e sustentável da cadeia integrada de Floresta Plantada.

  • Governo apresenta Programa Pará 2030 a executivos do setor financeiro

    As diretrizes e estratégias de crescimento do governo paraense que integram o Programa Pará 2030 foram apresentadas pelo secretário de Desenvolvimento Econômico, Mineração e Energia, Adnan Demachki, durante a abertura do encontro “O Pará Não Para! Oportunidades na Regional Pará, Maranhão e Amapá”, promovido pelo......

  • Estado reivindica recursos de renovação da Ferrovia de Carajás para construir Ferrovia Paraense

    Parte dos recursos para a viabilização da Ferrovia Paraense pode vir da concessão da Estrada de Ferro Carajás. Em Brasília, o secretário Adnan Demachki esteve, nesta terça-feira (14), com Adalberto Vasconcelos, secretário especial da Secretaria do Programa de Parcerias de Investimento (PPI). O objetivo é......

  • Empresas de agrofertilizantes investem 15 milhões em Santarém

    As empresas Camporico e Fertitex farão investimentos de 15 milhões de reais na aquisição e edificação de unidades industriais no bairro da Matinha, área a 4 km do porto santareno, para produção e comercialização de  agrofertilizantes. Os dois empreendimentos receberão benefícios fiscais do Estado, que......

  • Alubar celebra compromisso de carga com projeto da Ferrovia Paraense

    A Alubar Metais e Cabos S.A é a mais nova empresa a assumir compromisso de carga com o projeto da Ferrovia Paraense, conduzido pelo Governo do Pará, por meio da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Mineração e Energia (Sedeme). A garantia de carga é......