Palma de Óleo - PARÁ 2030
23701
page-template,page-template-full_width,page-template-full_width-php,page,page-id-23701,page-child,parent-pageid-21769,tribe-no-js,ajax_fade,page_not_loaded,,select-theme-ver-3.2.1,menu-animation-underline,wpb-js-composer js-comp-ver-4.12,vc_responsive
 

Palma de Óleo

DESCRIÇÃO

Existem cerca de 170 mil hectares plantados de palma de óleo no Estado do Pará, que produzem cerca de 380 mil toneladas de óleo bruto por ano (mais de 90% da produção nacional e cerca de 60% do consumo do Brasil). Este é um setor de grande criação de empregos, além de ter potencial tanto em óleo para fins alimentícios/industriais e quanto para biodiesel.

DESCRIÇÃO

Existem cerca de 170 mil hectares plantados de palma de óleo no Estado do Pará, que produzem cerca de 380 mil toneladas de óleo bruto por ano (mais de 90% da produção nacional e cerca de 60% do consumo do Brasil). Este é um setor de grande criação de empregos, além de ter potencial tanto em óleo para fins alimentícios/industriais e quanto para biodiesel.

CONTEXTO

CONTEXTO

Os plantios estão localizados primordialmente na região Nordeste do Estado, onde a palma de óleo se expandiu com a perspectiva de uma grande demanda futura para a produção de biocombustíveis fomentada pelo Governo Federal. O plano foi descontinuado poucos anos após seu anúncio, o que desacelerou o crescimento da cadeia.

8 empresas associadas na ABRAPALMA (Associação Brasileira de Óleo de Palma) e demais empresas no mercado movimentando um valor entre R$600 a R$800 milhões no ano de 2014.

Os plantios estão localizados primordialmente na região Nordeste do Estado, onde a palma de óleo se expandiu com a perspectiva de uma grande demanda futura para a produção de biocombustíveis fomentada pelo Governo Federal. O plano foi descontinuado poucos anos após seu anúncio, o que desacelerou o crescimento da cadeia.

8 empresas associadas na ABRAPALMA (Associação Brasileira de Óleo de Palma) e demais empresas no mercado movimentando um valor entre R$600 a R$800 milhões no ano de 2014.

O QUE PRECISA PRA DAR CERTO?

O QUE PRECISA PRA DAR CERTO?

Logística apropriada para o setor, com profissionais qualificados por assistência técnica e pesquisa aplicada na produção.

Simplificação e desburocratização dos processos de regularização fundiária e licenciamento ambiental.

Logística apropriada para o setor, com profissionais qualificados por assistência técnica e pesquisa aplicada na produção.

Simplificação e desburocratização dos processos de regularização fundiária e licenciamento ambiental.

ÁRVORE DE INICIATIVAS

ÁRVORE DE INICIATIVAS

INICIATIVAS DO PARÁ 2030

INICIATIVAS DO PARÁ 2030

REGULARIZAÇÃO FUNDIÁRIA

Mobilizar recursos, reformular fluxograma de processos e estabelecer sistema de governança eficiente de modo a titular terras consistentemente e, por consequência, destravar investimentos e produção.

REGULARIZAÇÃO E LICENCIAMENTO AMBIENTAL

Redesenhar fluxograma de processos de licenciamento ambiental de modo a aumentar celeridade e transparência.

CAPACITAÇÃO E ASSISTÊNCIA TÉCNICA E ATER

Difundir conjunto de práticas agronômicas de alto rendimento e produção eficiente para uso contínuo nos principais cultivos entre agricultores.

PESQUISA & DESENVOLVIMENTO

Desenvolver mecanismos eficientes de fomento às pesquisas em áreas estratégicas.

CERTIFICAÇÃO / PREMIUMIZAÇÃO

Obter a certificação de origem (RSPO) para a Palma produzida no Estado com o objetivo de abrir mercados e valorizar o produto.

LOGÍSTICA E INFRAESTRUTURA

Garantir acesso às áreas produtoras e melhorar o escoamento da produção.

REGULARIZAÇÃO FUNDIÁRIA

Mobilizar recursos, reformular fluxograma de processos e estabelecer sistema de governança eficiente de modo a titular terras consistentemente e, por consequência, destravar investimentos e produção.

REGULARIZAÇÃO E LICENCIAMENTO AMBIENTAL

Redesenhar fluxograma de processos de licenciamento ambiental de modo a aumentar celeridade e transparência.

CAPACITAÇÃO E ASSISTÊNCIA TÉCNICA E ATER

Difundir conjunto de práticas agronômicas de alto rendimento e produção eficiente para uso contínuo nos principais cultivos entre agricultores.

PESQUISA & DESENVOLVIMENTO

Desenvolver mecanismos eficientes de fomento às pesquisas em áreas estratégicas.

CERTIFICAÇÃO / PREMIUMIZAÇÃO

Obter a certificação de origem (RSPO) para a Palma produzida no Estado com o objetivo de abrir mercados e valorizar o produto.

LOGÍSTICA E INFRAESTRUTURA

Garantir acesso às áreas produtoras e melhorar o escoamento da produção.

  • Governo apresenta Programa Pará 2030 a executivos do setor financeiro

    As diretrizes e estratégias de crescimento do governo paraense que integram o Programa Pará 2030 foram apresentadas pelo secretário de Desenvolvimento Econômico, Mineração e Energia, Adnan Demachki, durante a abertura do encontro “O Pará Não Para! Oportunidades na Regional Pará, Maranhão e Amapá”, promovido pelo......

  • Estado reivindica recursos de renovação da Ferrovia de Carajás para construir Ferrovia Paraense

    Parte dos recursos para a viabilização da Ferrovia Paraense pode vir da concessão da Estrada de Ferro Carajás. Em Brasília, o secretário Adnan Demachki esteve, nesta terça-feira (14), com Adalberto Vasconcelos, secretário especial da Secretaria do Programa de Parcerias de Investimento (PPI). O objetivo é......

  • Empresas de agrofertilizantes investem 15 milhões em Santarém

    As empresas Camporico e Fertitex farão investimentos de 15 milhões de reais na aquisição e edificação de unidades industriais no bairro da Matinha, área a 4 km do porto santareno, para produção e comercialização de  agrofertilizantes. Os dois empreendimentos receberão benefícios fiscais do Estado, que......

  • Alubar celebra compromisso de carga com projeto da Ferrovia Paraense

    A Alubar Metais e Cabos S.A é a mais nova empresa a assumir compromisso de carga com o projeto da Ferrovia Paraense, conduzido pelo Governo do Pará, por meio da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Mineração e Energia (Sedeme). A garantia de carga é......