Palma de Óleo - PARÁ 2030
23701
page-template,page-template-full_width,page-template-full_width-php,page,page-id-23701,page-child,parent-pageid-21769,tribe-no-js,ajax_fade,page_not_loaded,,select-theme-ver-3.2.1,menu-animation-underline,wpb-js-composer js-comp-ver-4.12,vc_responsive
 

Palma de Óleo

DESCRIÇÃO

Existem cerca de 170 mil hectares plantados de palma de óleo no Estado do Pará, que produzem cerca de 380 mil toneladas de óleo bruto por ano (mais de 90% da produção nacional e cerca de 60% do consumo do Brasil). Este é um setor de grande criação de empregos, além de ter potencial tanto em óleo para fins alimentícios/industriais e quanto para biodiesel.

DESCRIÇÃO

Existem cerca de 170 mil hectares plantados de palma de óleo no Estado do Pará, que produzem cerca de 380 mil toneladas de óleo bruto por ano (mais de 90% da produção nacional e cerca de 60% do consumo do Brasil). Este é um setor de grande criação de empregos, além de ter potencial tanto em óleo para fins alimentícios/industriais e quanto para biodiesel.

CONTEXTO

CONTEXTO

Os plantios estão localizados primordialmente na região Nordeste do Estado, onde a palma de óleo se expandiu com a perspectiva de uma grande demanda futura para a produção de biocombustíveis fomentada pelo Governo Federal. O plano foi descontinuado poucos anos após seu anúncio, o que desacelerou o crescimento da cadeia.

8 empresas associadas na ABRAPALMA (Associação Brasileira de Óleo de Palma) e demais empresas no mercado movimentando um valor entre R$600 a R$800 milhões no ano de 2014.

Os plantios estão localizados primordialmente na região Nordeste do Estado, onde a palma de óleo se expandiu com a perspectiva de uma grande demanda futura para a produção de biocombustíveis fomentada pelo Governo Federal. O plano foi descontinuado poucos anos após seu anúncio, o que desacelerou o crescimento da cadeia.

8 empresas associadas na ABRAPALMA (Associação Brasileira de Óleo de Palma) e demais empresas no mercado movimentando um valor entre R$600 a R$800 milhões no ano de 2014.

O QUE PRECISA PRA DAR CERTO?

O QUE PRECISA PRA DAR CERTO?

Logística apropriada para o setor, com profissionais qualificados por assistência técnica e pesquisa aplicada na produção.

Simplificação e desburocratização dos processos de regularização fundiária e licenciamento ambiental.

Logística apropriada para o setor, com profissionais qualificados por assistência técnica e pesquisa aplicada na produção.

Simplificação e desburocratização dos processos de regularização fundiária e licenciamento ambiental.

ÁRVORE DE INICIATIVAS

ÁRVORE DE INICIATIVAS

INICIATIVAS DO PARÁ 2030

INICIATIVAS DO PARÁ 2030

REGULARIZAÇÃO FUNDIÁRIA

Mobilizar recursos, reformular fluxograma de processos e estabelecer sistema de governança eficiente de modo a titular terras consistentemente e, por consequência, destravar investimentos e produção.

REGULARIZAÇÃO E LICENCIAMENTO AMBIENTAL

Redesenhar fluxograma de processos de licenciamento ambiental de modo a aumentar celeridade e transparência.

CAPACITAÇÃO E ASSISTÊNCIA TÉCNICA E ATER

Difundir conjunto de práticas agronômicas de alto rendimento e produção eficiente para uso contínuo nos principais cultivos entre agricultores.

PESQUISA & DESENVOLVIMENTO

Desenvolver mecanismos eficientes de fomento às pesquisas em áreas estratégicas.

CERTIFICAÇÃO / PREMIUMIZAÇÃO

Obter a certificação de origem (RSPO) para a Palma produzida no Estado com o objetivo de abrir mercados e valorizar o produto.

LOGÍSTICA E INFRAESTRUTURA

Garantir acesso às áreas produtoras e melhorar o escoamento da produção.

REGULARIZAÇÃO FUNDIÁRIA

Mobilizar recursos, reformular fluxograma de processos e estabelecer sistema de governança eficiente de modo a titular terras consistentemente e, por consequência, destravar investimentos e produção.

REGULARIZAÇÃO E LICENCIAMENTO AMBIENTAL

Redesenhar fluxograma de processos de licenciamento ambiental de modo a aumentar celeridade e transparência.

CAPACITAÇÃO E ASSISTÊNCIA TÉCNICA E ATER

Difundir conjunto de práticas agronômicas de alto rendimento e produção eficiente para uso contínuo nos principais cultivos entre agricultores.

PESQUISA & DESENVOLVIMENTO

Desenvolver mecanismos eficientes de fomento às pesquisas em áreas estratégicas.

CERTIFICAÇÃO / PREMIUMIZAÇÃO

Obter a certificação de origem (RSPO) para a Palma produzida no Estado com o objetivo de abrir mercados e valorizar o produto.

LOGÍSTICA E INFRAESTRUTURA

Garantir acesso às áreas produtoras e melhorar o escoamento da produção.

  • Nova rodada de reuniões sobre o projeto da ferrovia paraense, agora com a estatal russa RZD

    Após a reunião desta semana com a gigante China Railways Corporation (CREC 10), o secretário estadual de Desenvolvimento Econômico, Adnan Demachki, e seu adjunto, Eduardo Leão, reuniram-se na tarde desta quinta-feira, 5, em São Paulo, com a empresa Russian Railways (RZD), para avaliação dos estudos......

  • Sedeme continua o debate com gigante chinesa sobre o projeto da Ferrovia Paraense

    O projeto da Ferrovia Paraense foi tema de uma reunião na manhã desta quarta-feira (4) entre a China Railways Corporation (CREC 10) e a Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Mineração e Energia (Sedeme). A empresa chinesa (que em novembro passado já assinara, em Brasília,......

  • Sedeme leva indústrias de Acaí para conhecer as pesquisas do PCT Guamá

    O Parque de Ciência e Tecnologia Guamá, construído pelo governo do Estado no Campus da Universidade Federal do Pará, disponibiliza às empresas onze laboratórios para oferecer soluções tecnológicas e para ajudar a desenvolver produtos inovadores. Entre estes laboratórios, o Centro de Valorização de Compostos Bioativos......

  • Empresa chinesa CBSteel visita o Pará e declara interesse em investimentos

    O presidente da China Brazil New Energy Environment International Investment (CBSteel), Zhang Shengsheng, declarou ao governador do Pará, Simão Jatene, e ao secretário estadual de Desenvolvimento Econômico, Adnan Demachki, em reunião no Palácio do Governo, neste sábado, 24, que tem interesse em investir no Pará......