Secretário recebe presidente da Alepa e representantes do setor pesqueiro - PARÁ 2030
25107
post-template-default,single,single-post,postid-25107,single-format-standard,tribe-no-js,ajax_fade,page_not_loaded,,select-theme-ver-3.2.1,menu-animation-underline,wpb-js-composer js-comp-ver-4.12,vc_responsive

Secretário recebe presidente da Alepa e representantes do setor pesqueiro

Representantes do setor pesqueiro do Pará, acompanhados do deputado estadual e presidente da Assembleia Legislativa do Estado (Alepa), Márcio Miranda, se reuniram com o secretário de Desenvolvimento Econômico do Pará, Adnan Demachki, nesta quarta-feira, 1º,  para pedir apoio na eliminação de entraves que prejudicam a atividade nas principais microrregiões produtoras de pescado.
Eles apresentaram uma pauta de reivindicações que compreende desde a falta de qualificação profissional de trabalhadores até dificuldades de acesso à internet e inexistência de caixas eletrônicos para serviços bancários nos entrepostos pesqueiros, entre outros problemas.
“O Adnan foi excelente, tem um estilo de trabalho igual ao meu, pega um problema e dá encaminhamento prático para solução’’, destacou o deputado Márcio Miranda.
Para o presidente do Sindicato dos Pescadores Artesanais do Pará (Sindtraspa Pará), Antônio Carlos de Santos Gomes, a reunião foi produtiva. “Nós levantamos quase todos os problemas que ocorrem no Pará. O secretário Adnan com o presidente da Alepa têm levado nosso movimento a sério e deliberaram a realização de um  seminário”, enfatizou a liderança sindical.
Antônio Carlos assegurou que o Sindtraspa e outras entidades do segmento querem ouvir os pescadores nas microrregiões, antes do seminário maior que a Alepa, segundo Márcio Miranda, quer realizar para discutir o cenário e desafios da cadeia.  ”Vamos às regiões Metropolitana, Bragantina, Tocantina e Marajoara e ainda ao Baixo Amazonas’’, acrescentou ele, que é mais conhecido como Fagundes.
Dois sindicatos estaduais e a Central das Entidades do Estado do Pará, representada por Carlos Amaral, participaram da reunião no gabinete do secretário estadual Adnan Demachki, na sede da Sedeme, no bairro do Umarizal, em Belém.
O secretário recordou que o Pará 2030 criado em 2016 instituiu uma série de iniciativas já em prática nos últimos meses voltadas ao desenvolvimento sustentável do setor da Pesca e Aquicultura.
‘’Trata-se de uma política estratégica planejada e articulada entre os órgãos estaduais da área econômica e o setor produtivo, que inclui desde o fomento via Fapespa de recursos às pesquisas da UFPA e IFPA no Campus Bragança para projetos de inovação tecnológica para a pesca estadual à elaboração em conjunto com a Sedap e a UFPA da minuta de Lei da Aquicultura e criação do Fundo da Pesca e da Aquicultura no Pará. Além disso, o Pará Profissional, conduzido pela Sectet, começa a qualificar a mão de obra do setor, entre outras ações’’, observou Demachki.
De acordo com Fagundes, atualmente o peixe de maior produtividade no Pará é a dourada, sobretudo entre os municípios marajoaras de Chaves, Soure, Cachoeira do Arari e Ponta de Pedras, além de Gurupá , esse último no Baixo Amazonas.
Segundo o deputado, ‘’cada reunião em que uma parte apresenta seu problema e o outro tem a boa vontade de querer resolver com seriedade e verdade, dentro das condições que se tem, traz resultados positivos’’, destacou Márcio Miranda.
Ele ainda disse que esta foi a terceira reunião que teve com representantes do setor nas últimas semanas em cima da pauta deles. “Viemos até o Adnan porque ele representa o Estado. A Alepa quer promover um grande seminário com autoridades nacionais e representantes do Pará para discutir a modernização da legislação do setor, ainda em dezembro’’, afirmou Miranda.  Texto e Fotos: Ascom/Sedeme.
Nenhum Comentário

Publicar um comentário