Sedeme ajuda Juruti a elaborar plano de desenvolvimento - PARÁ 2030
25358
post-template-default,single,single-post,postid-25358,single-format-standard,tribe-no-js,ajax_fade,page_not_loaded,,select-theme-ver-3.2.1,menu-animation-underline,wpb-js-composer js-comp-ver-4.12,vc_responsive

Sedeme ajuda Juruti a elaborar plano de desenvolvimento

Fomentar o desenvolvimento econômico em Juruti, potencializando vocações locais: em torno deste objetivo, o Instituto Juruti Sustentável (IJUS), Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Mineração e Energia (Sedeme), Coordenação de Desenvolvimento Econômico e Incentivo à Produção do Centro Regional de Governo do Baixo Amazonas (CRGBA), Alcoa e Prefeitura de Juruti iniciaram a construção da proposta de realização de um seminário para discutir como alavancar o desenvolvimento do município.

Estiveram reunidos na terça-feira (15), na sede do IJUS, o prefeito de Juruti, Henrique Costa, e os secretários municipais; Gustavo Hamoy, coordenador de Desenvolvimento Econômico e Incentivo à Produção do CRGBA; Marjorie Neves, coordenadora de Desenvolvimento Socioambiental na Mineração da Sedeme; e Rogério Ribas, gerente institucional da Alcoa Juruti; e a diretoria do IJUS.

“O Seminário será realmente positivo, pois visa a contribuir com a visão do Programa Pará 2030, a fim de estimular a construção de um Plano de Desenvolvimento Juruti 2030, a partir do forte engajamento dos atores locais”, afirmou Marjorie Neves. “O engajamento torna-se fundamental para a elaboração de planos e projetos que já existem e até mesmo o estabelecimento de novas metas”. “Percebi o envolvimento e vontade muito positiva de todos os presentes”, reforçou.

“Demos um encaminhamento prático para a construção de um plano de desenvolvimento municipal. E com o Seminário daremos um passo muito importante para traçar metas e trazer resultados para Juruti”, comentou o prefeito Henrique Costa.

Já nas próximas semanas, o grupo de trabalho entre representantes das organizações presentes irá estudar e visualizar o “Juruti 2030” (inspirado no Programa Pará 2030, implementado pelo Governo do Estado e que induz o desenvolvimento a partir de ações diretas em 14 cadeias econômicas prioritárias).

Serão estudados os potenciais econômicos do município, como a cadeia produtiva da madeira e as questões da exploração ilegal, ainda muito presente na região. Também é prioridade a cadeia da pesca, o comércio e a produção rural. A proposta é apresentar dados sobre essas cadeias durante o Seminário e proporcionar reflexões sobre a promoção do desenvolvimento de Juruti.

“Iremos ajudar com reflexões e diálogos para construir um plano efetivo e prático de desenvolvimento local baseado no esforço integrado entre governos, empresas e organizações civis”, diz Gilza Amaral, diretora do IJUS. “O modelo de atuação do IJUS é este, de aliança e diálogo entre várias partes, e este elo potencializa nossa capacidade de forma real”.

“O Seminário será um grande evento pra discutirmos sobre a vocação na área econômica e desenvolvimento para Juruti e entorno. É uma das atribuições do CRGBA contribuir, articular para que as secretarias do Governo do Estado cheguem de forma mais firme em todos os municípios da região”, afirma Gustavo Hamoy.

Todo o setor econômico de Juruti, da grande empresa aos pequenos e médios negócios, produtores rurais, pescadores e profissionais liberais que atuam diretamente em Juruti, além de associações, organizações e grupos operando atividade econômica local são o público-alvo no seminário.

O evento acontecerá em agosto próximo.

Sobre o IJUS

Estabelecido em agosto de 2008, o Instituto Juruti Sustentável (IJUS) é a primeira organização civil certificada como OSCIP (Organização da Sociedade Civil de Interesse Público) no município de Juruti-PA.

O IJUS é composto pelo Conselho Juruti Sustentável – CONJUS, órgão voltado à promoção do diálogo coletivo entre organizações sociais, poder público e iniciativa privada; Fundo Juruti Sustentável – FUNJUS, mecanismo financeiro voltado a investimentos em projetos voltados ao desenvolvimento sustentável local; e indicadores para acompanhamento de aspectos do desenvolvimento socioeconômico de Juruti. Conselho, Fundo e Indicadores, juntos, integram a estratégia “Tripé Juruti Sustentável”, que norteia a atuação do IJUS desde a sua origem.

 

(Ascom Sedeme com informações do IJUS)

Nenhum Comentário

Publicar um comentário